+351 915 420 234 // +34 615 45 50 35 srp160@trilhosvivos.com

Regulamento

Art. 1 – Evento

1.1 – O evento SRP160 (Serpa 160), é uma prova de Bicicletas de Todo-o-Terreno (BTT), disputada em variadas zonas rurais dos concelhos de Serpa e Mértola e zona fronteiriça de Portugal/Espanha.

1.2 – Em 2019, a 12ª ediçao do SRP160, ocorrerá no sábado 13 de Abril.

1.3 – A organização desta prova está a cargo da empresa Ohm Sports Lda, sob a marca Trilhos Vivos, responsável pela concepção e gestão da prova, com NIF/NIPC 513062939,

 

1.4 – O evento é uma prova competitiva, com cronometragem individual, registo de classificações por categorias/escalões, que por não ter enquadramento nos formatos estabelecidos pela UCI, insere-se nas provas abertas da UVP/FPC.

Art. 2 – Participação

2.1 – A participação está interditada a indivíduos que não tenham completado os 18 anos até ao final de 2018.

2.2 – Atletas que estejam suspensos, a cumprir pena por uso de substâncias proibidas, na UVP-FPC/UCI, estarão também proibidos de participar nesta prova.

2.3 – Para a participação na prova é necessário possuir uma bicicleta de montanha (sem qualquer tipo de motorização).

2.4 – É obrigatória a utilização de capacete durante toda a prova. Também, e por questões de segurança, é obrigatório a utilização de um telemóvel activo cujo número é facultado à Organização no acto de inscrição. Este número destina-se a ser accionado em caso de necessidade de busca do participante ou para qualquer situação de emergência.

2.5 – O participante tem de ter conhecimento sobre as suas capacidades físicas e psicológicas, sendo esta uma prova de endurance, exige preparação e treino que o participante deve garantir.

2.6 – São designados “participantes” todos os indivíduos que manifestem a sua vontade em participar através do preenchimento da ficha de inscrição, paguem a respectiva inscrição e se apresentem à partida no Controlo Horário de Partida (CHP) após terem formalizado os últimos preparativos no secretariado.

2.7 – A Organização reserva-se o direito de recusar a inscrição de um participante até à data de término das inscrições para o evento, não tendo que justificar a razão da recusa. Em caso de recusa de participação, o individuo inscrito será informado através do endereço de e-mail submetido aquando da inscrição. Caso a inscrição já tenha sido regularizada, o valor pago será devolvido na totalidade por transferência bancária no prazo de 15 dias úteis.

Art. 3 – Inscripciones

3.1 – As inscrições decorrerão até ao dia 8 de Abril de 2019. Não serão aceites inscrições após aquela data.

3.2 – As inscrições só serão efectivas após recepção do respectivo pagamento e comprovativo do mesmo, que tem de ser efectuado até às 24h00m da data limite para o fim das inscrições.

3.3 – A validação da inscrição, consubstanciada pelo preenchimento e envio/entrega do formulário, implica o compromisso de conhecimento e aceitação do presente regulamento.

3.4 – A inscrição na prova inclui:
– Participação no percurso Ultramaratona SRP160
– Placa frontal personalizada
– Zonas de Abastecimento de alimentos sólidos e líquidos ao longo do percurso
– Serviço de cronometragem e classificações
– Seguro de acidentes pessoais (Coberturas: 20 000€ por morte ou invalidez permanente, 3.500 € para despesas de tratamento e 3.000 € para despesas de funeral.)
– Balneários p/ duches
– Track GPS em formato gpx
– Buffet de
recuperação após a prova
– Brindes de participação
– Zona de lavagem de bicicletas
– Brindes de finisher

– Cobertura fotográfica e video

 

 

3.4 – Os dados facilitados pelo participante deverão ser válidos.

3.5 – Tabela de preços e periodos de inscrição. (AÑADIR TABLA)

3.6 – A emissão de facturas será efectuada, após envio de e-mail com os dados (nome, morada e NIF).

Art. 4 – Desistências

4.1 – As desistências anteriores à realização do evento, quando informadas à Organização por escrito até dia 31 de Março 2019, serão reembolsadas de 50% do valor nominal da inscrição.
Desistências informadas após essa data não terão direito a qualquer reembolso.

4.2 – As permutas de indivíduos só serão aceites até dia 31 de Março 2019, sendo que estas carecem de um pagamento extra de 3€ para despesas de processamento das alterações, e emissão de novas placas frontais. As mesmas só são efectuadas após o pagamento deste valor.

4.3 – A desistência no decorrer da prova, por qualquer motivo que seja, exige a comunicação imediata ao director de prova/organização, seja via staff no terreno (em qualquer zona de abastecimento ou controlo de passagem) ou via telemóvel, utilizando os números impressos no frontal.

4.4 – A organização não assegura o retorno a Serpa dos participantes que desistam ao longo do percurso. Poderá, eventualmente, através de viaturas que fecham os percursos ou que façam parte do dispositivo de segurança, providenciar a deslocação do participante e da respectiva bicicleta até à próxima Zona de Assistência (ZA). A partir desse local cumpre ao participante, procurar soluções para o seu transporte ou seguir por estrada com base nas indicações do staff.
Esta medida naturalmente não se aplica aos feridos que tenham de ser evacuados através dos meios de socorro.

Art. 5 – Acreditação

5.1 – Localização e horário de acordo com as informaçlões disponíveis no site e no guia de prova enviado aos atletas.

5.2 – Obrigatoriedade do documento de identificação para levantar o kit de participante

5.3 – Levantamento por terceiros, apenas possível se o próprio comunicar por e-mail ou telemóvel esse desejo e a identificação da pessoa que irá levantar o kit de participante

5.4 – A placa frontal e dorsais são pessoais e intransmissíveis, não sendo possível a sua utilização por parte de terceiros, implicando desclassificação para quem o fizer e o não enquadramento na estrutura do evento e nos vinculos legais do mesmo.

5.5 – É proíbido modificar a placa frontal, seja cortar, sobrar ou escrever

Art. 6 – Material não substituível:

6.1 – O quadro da bicicleta é o único componente permanente pelo que não é substituível, como tal, é a única parte da bicicleta que o participante deverá manter de inicio ao fim da prova. Para além do quadro o participante obriga-se a chegar ao CHC com a mesma placa frontal com que partiu.

Art. 7 – Prova:

7.1 – Não existirão marcações físicas no percurso. O seguimento do percurso faz com recurso ao uso de um dispositivo GPS e por via de navegação do track que a organização providencia a todos os atletas.

7.2 –  O percurso segue, em regra, a “Pista Principal” (PP) o que significa seguir sempre o mesmo sentido, até se encontrar um cruzamento ou entroncamento.
Nesses locais o participante deve confirmar com o track gps sempre qual a ramificação a seguir.

7.3 – Em sítios potencialmente dúbios (entrada de trilhos menos perceptíveis) é possível que existam marcações físicas que auxiliem a navegação gps, todavia serão situações pontuais e excepcionais.

7.4 – Seja por vontade própria ou por factores externos, o não cumprimento do percurso implica desclassificação do participante em causa, sem prejuízo para os outros.

7.5 – A reunião com os participantes (Briefing) decorrerá según o estipulado na guía de prova e servirá para efectuar alguns alertas, prestar os últimos esclarecimentos e tirar algumas dúvidas mais comuns.

7.6 – Percurso

7.6.1 – O percurso possui aproximadamente 160 Km com um desnível acumulado entre os 2300m e 2800m. Os dados precisos e concretos, relativos à dimensão e descrição do percurso só serão divulgados na semana anterior ao evento, pelo que estes dados são meramente indicativos.

7.6.2 – Desenrola-se em variadas zonas rurais do concelho de Serpa, Mértola e Paymogo (Espanha), desde o vale do Guadiana, à planície dourada, passando pelas serras de Serpa e Mértola e a zona raiana.

7.6.3 – Na generalidade, o percurso é disputado em caminhos, trilhos e estradas florestais não asfaltadas e pontualmente em estradas asfaltadas.

7.6.4 – Parte destes percursos podem ter zonas de alguma dificuldade técnica onde será necessária especial precaução por parte dos participantes.

7.7 – Controlos

7.7.1 – Controlo Zero

7.7.1.1 – Os participantes da SRP160, terão de efectuar check-in, na box correspondente, cuja ordenação segue o nº de frontal atribuído. Este controlo é feito entre as 7h35m e as 7h50m.

7.7.1.2 – O não cumprimento deste horário significa uma penalização de 30 minutos, e a entrada na última box de partida.

7.7.1.3 – A não confirmação de presença no CP0 significará a ausência da prova, não sendo esse dorsal contabilizado para cronometragens nem controlos de passagem, que consequentemente implica desclassificação..

7.7.1.4 – Removidas as barreiras que delimitam as boxes, os atletas devem respeitar a posição das suas boxes. Os atletas que procurarem “furar”, por forma a conseguir partir mais à frente serão penalizados com 90minutos.

 

7.7.2 – A partida da SRP160 será feita pontualmente às 08h00m, sendo devidamente anunciada pelo director de prova.

7.7.3 – Controlos de Passagem

7.7.3.1 – Existirão Controlos de Passagem (CP) onde é obrigatória a paragem para que seja efectuada a marcação da respectiva placa frontal e assim confirmar a sua passagem pelo controlo.

7.7.3.2 – Na chegada ao CHC será verificada a existência das marcações dos CP’s.

7.7.3.3 – Os CP’s ou CH’s poderão fazer fecho de percurso, onde após hora estipulada, não será possível seguir o trajecto normal do percurso.
7.7.3.4 – Estes horários serão disponibilizados atempadamente no website
da prova e no guia enviado a todos os atletas nos dias que antecedem a prova.

7.7.3.5 – O desrespeito de horários de fecho implica a exclusão imediata da prova e
consequentemente desclassificação.

 

7.7.4 – Chegada

7.7.4.1 – O fim do percurso da SRP160 é coincidente com a linha de meta situada no Controlo Horário de Chegada (CHC).

7.7.4.2 – Este estará identificado através de estruturas físicas no local. Aqui todos os participantes terão de passar para leitura do seu frontal e validação do seu tempo.

7.7.5 – Por questões de segurança, relacionadas com a ausência de luminosidade própria da época do ano, é estabelecido o limite de 12 horas para cumprimento do percurso da Ultramaratona SRP160.

7.8 – Regras de segurança

7.8.1 – As provas de BTT de longa duração, em geral, e a SRP160, em particular, são uma modalidade desportiva que requer cuidados específicos de preparação física e psicológica. Por isso, a Trilhos Vivos alerta os participantes que não é responsável pela respectiva saúde e integridade física, bem como danos pessoais e/ou materiais.

 

7.8.2 – A SRP160 disputa-se em percurso aberto, pelo que os participantes devem estar conscientes que poderão cruzar-se com gado, animais ou outros utilizadores do percurso (caminhantes, outros ciclistas, cavaleiros ou até viaturas motorizadas de 2 ou 4 rodas).
Estes deverão ser sempre respeitados.

7.8.3 – O percurso passará também por estradas alcatroadas e dentro de pequenas localidades, pelo que todas as regras de trânsito deverão ser cumpridas. Nestas circunstâncias é sobre os participantes que recai a responsabilidade pelo respectivo comportamento e atitude.

7.8.4 – A organização recomenda a todos que se mantenham permanentemente atentos a toda a envolvente e que sigam as instruções dadas por elementos da organização ou forças de segurança.

 

7.8.5 – Em todos os trajectos deverá circular sempre pela direita assim como respeitar os participantes mais rápidos/lentos actuando sempre com bom senso.

 

7.8.6 – No caso de acidente este deve ser sempre comunicado de imediato pelo próprio. No caso de impossibilidade do próprio em comunicar a situação, este deverá obrigatoriamente ser comunicado pelos primeiros participantes que detectem a situação.

 

7.9 – Cancelamento da prova ou alteração do percurso:

7.9.1 – Como consequência de condições climatéricas adversas, indo ao encontro do principio de salvaguarda da segurança dos participantes, a organização pode aplicar alterações substanciais à estrutura e dimensão do percurso.

7.9.2 – Estas alterações passam por modificações de percurso, desvios por estrada ou alterações nos horários de passagem, os quais os participantes são obrigados a cumprir sob pena de desclassificação.

7.9.3 – Em casos extremos a organização poderá ver-se obrigada a adiar a prova para outra data ou mesmo a cancelar.

Um eventual adiamento poderá ser ser decidido até 48h antes da data agendada para a prova, sendo de imediato comunicado no site oficial do evento.

O adiamento ou cancelamento da prova, não obriga a organização a nenhuma compensação aos inscritos, procurando porém a organização atenuar os transtornos causados por tal situação.

 

 

7.1 –Abastecimientos

7.10.1 – Existirão no terreno zonas de abastecimento (ZA’s) onde serão disponibilizados alimentos sólidos e líquidos. Aqui os participantes poderão descansar, alimentar-se, hidratar-se e caso esteja disponível o serviço de mecânica, reparar algum problema mecânico.

 

7.10.2 – Os acompanhantes que pretendam auxiliar os seus participantes, apenas o poderão fazer nestes locais. Fora destes locais o atleta deverá ser  autonomo.

 

7.10.3 – Los participantes pueden solicitar a la organización que transporte “abastecimiento propio” para la ZA que se encuentra aproximadamente en mitad del recorrido (especificada en la guía de prueba enviada a los participantes y en la página web de la misma).

7.10.4 – Os participantes podem solicitar à organização que transporte “abastecimento próprio” para a ZA que fica sensivelmente a meio do percurso (identificada na informação sobre o percurso). O abastecimento próprio pode conter alimentos sólidos ou líquidos bem como algum equipamento, e deverá estar num saco devidamente identificado com o nº de frontal do respectivo participante.

7.10.5 – A entrega dos sacos terá de ser feita no secretariado no dia anterior à prova ou no próprio dia, de acordo com o horário estipulado no guia de prova e no programa disponível no site do evento.

7.10.6 – A recolha dos sacos pelos participantes após a realização da prova está condicionada ao horário de chegada dos elementos dessa ZA.

7.10.7 – É permitido ao participante abastecer-se em cafés, mercearias ou outros, durante a prova e se sentir necessidade.

7.10.8 – No percurso apenas é possível a intervenção mecânica com os meios transportados pelo participante ou de outro atleta que o decida auxiliar.

7.11 – Todo o percurso efectuado desde a linha do CHP até à linha do CHC é cronometrado.

7.12 – A cronometragem é da responsabilidade da
organização, utilizando sistema próprio e contabilizada em horas, minutos e segundos.

7.13 – O tempo total cronometrado será contabilizado desde a hora de partida (CHP) até à leitura de frontal no Controlo Horário de Chegada.

7.14 – A divulgação dos tempos oficiais finais (com eventuais penalizações contabilizadas) será publicado no site da prova até 24h após o evento.

7.15 – São elementos da Organização:

-Direcção da Prova
-Secretariado
-Controladores de pontos de passagem
-Controladores de zona de assistência
-Controladores horários

7.20 – A Direcção e os Controladores são “juízes de facto” pelo que as suas decisões são inquestionáveis.

7.20 – Os elementos da Organização estarão devidamente identificados através de vestuário ou um cartão visível.

Art. 8 – Classificações / Penalizações

8.1 – As classificações da prova serão consideradas em categorias e/ou escalões etários e em geral absoluto de acordo com o seguinte:

– Elite – Idade menor ou igual a 34 anos
– Master +35 – Idade entre 35 e 39 anos
– Master +40 – Idade entre 40 e 44 anos
– Master +45 – Idade entre 45 e 49 anos
– Grand Master +50 – Idade igual ou superior a 50 anos
– Feminino Absoluto – Categoria única não diferenciada em escalões etários

Nota: Para efeito de calculo da idade é considerado apenas o ano de nascimento e não a data.

8.2 – Os melhores 3 tempos de cada escalão/categoria terão direito a troféu e a cerimónia protocolar de pódio.

8.3 –Após a afixação dos resultados, todas as reclamações têm de ser apresentadas por escrito à organização, até 48h após o evento.

8.3 – A organização terá poderes para não permitir a continuação em prova ou a desclassificação de algum participante onde se verifiquem situações como as seguintes:

-Visível incapacidade física e/ou mental ou problema de saúde;
-Desrespeito pelas regras/leis locais aplicáveis, nomeadamente regras de transito ou desrespeito de outros utilizadores dos trajectos ;
-Utilização de material obrigatório que apresente sinais de por em risco de segurança o/os participante/s;
-Consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou consumo de substâncias estupefacientes;
-Desrespeito de ordens dadas por elementos da organização, forças de segurança ou equipas de emergência médicas;
-Comportamentos anti-desportivos;
-Desrespeito pelas regras básicas de segurança em actividades deste tipo, P.Ex: não utilizar capacete;
-Jogar lixo em qualquer parte do percurso, fora de áreas para isso destinadas;
-Desrespeito pelas regras deste regulamento;
-Não cumprimento do percurso.

Todas estas situações serão analisadas pela organização, sendo a sua decisão soberana. As desclassificações poderão ser da etapa ou de toda a prova consoante a gravidade da situação e o veredicto da organização

 

8.4 – As penalizações serão de acordo com a seguinte tabela:

Motivo/Causa Penalização Notas
Não utilização de capacete Desclassificação
Telemóvel indisponível 2 horas Salvo por falta de rede no local
Perda de placa frontal 4 horas
Falha de marcação de CP 2 horas Por cada ocorrência
Desrespeitar fechos em CP, manter-se no percurso após fecho deste Desclassificação
Desrespeitar outros participantes 1 hora
Desrespeitar regras de trânsito 2 horas
Não acatar ordens de forças de segurança, equipas de emergência ou organização Desclassificação
Jogar lixo fora das áreas destinadas 3 horas Por cada ocorrência, áreas destinadas serão baldes do lixo ou nas ZA’s
Não assistir outro participante acidentado Desclassificação

8.5 – A cerimónia protocolar será realizada no local e no horário definidos no programa da prova, disponível no website e no guia.

Art. 9 – Finishers

8.1 – Será entregue uma medalha de finisher, alusiva à prova, a todos os particiantes que a concluam.

Art. 9 – Direito de Imagem

9.1 – A organização, reserva-se o direito de utilizar as imagens captadas no decurso do SRP160 exclusivamente para efeitos de promoção dos seus eventos
e produtos, salvo indicação expressa em contrário, enviando pedido por escrito para o email srp160@trilhosvivos.com. Eventualmente poderão ser utilizados outros dados como classificações, tempos ou entrevistas para o mesmo efeito. Ao concluir a inscrição o participante aceita esta condição.

Art. 10 – Outros

10.1 – Não responsabilidade de danos nas bicicletas no decorrer da prova, transporte, nem lavagem.

10.2 – Não responsabilidade sobre o extravio de equipamentos ou materiais entregues a elementos da organização para serem transportados para a chegada.

10.3 – Mateiriais deixados nas ZA’s que não sejam recolhidos pelos proprietários no dia da prova, serão enviados via CTT, mediante solicitação dos atletas para morada indicada, com os portes a cargo dos mesmos.

10.4 – Os casos omissos e situações não descritas neste regulamento serão analisados pela organização que será soberana nas suas decisões. Os participantes poderão ser chamados a prestar esclarecimentos sobre situações decorrentes de reclamações.

10.5 – Duvidas sobre a interpretação do presente regulamento deverão ser esclarecidas junto da organização.

10.6 – A organização não terá qualquer tipo de responsabilidade sobre acidentes causados ou sofridos pelos participantes no decorrer da prova, e suas eventuais consequências.

10.7 – A organização reserva-se no direito de alterar o presente regulamento, sem aviso prévio, se forem detectadas situações omissas importantes para o correcto funcionamento da prova. Estas alterações serão comunicadas no site do evento, afixadas no secretariado, dadas a conhecer na reunião com os participantes ou ainda, eventualmente, distribuídas a todos os participantes.